Corona vírus: confira,
previna-se e mantenha a tranquilidade.

Estamos somando forças com operadoras de saúde, prestadores médicos, entidades de classe e órgãos do governo para oferecer a você informação de qualidade sobre o novo coronavírus.

Confira, previna-se e mantenha a tranquilidade.

O que é o novo coronavírus ou Covid-19?

Identificado na China em 31/12/2019, o vírus causa um resfriado comum, que pode evoluir para doenças respiratórias graves como pneumonia ou síndrome respiratória aguda. O nome coronavírus está relacionado a sua aparência de coroa.

Como o vírus é transmitido?

Pelo ar

  • Gotículas de saliva
  • Espirro
  • Tosse

Por contato físico

  • Aperto de mão
  • Abraço
  • Aglomerações de pessoas

Por áreas contaminadas

  • Objetos ou superfícies contaminadas (corrimão, celular, mesa e maçaneta)

Período médio para manifestação da doença: entre 5 e 12 dias.
Até o momento, não há informações sobre o tempo que uma pessoa infectada leva para transmitir o vírus - inclusive, se é possível transmitir mesmo sem o aparecimento dos sintomas. Portanto, atente-se às medidas de prevenção.

Calma. O risco de morte ainda é menor que o de outras doenças graves.

O novo coronavírus apresenta transmissão menos intensa que o vírus da gripe e mais alta que o H1N1.
Porém, a taxa de letalidade é mais baixa do que a do H1N1.

Conheça os sintomas.

O novo coronavírus se manisfesta de maneira semelhante a uma gripe comum.

Proteger-se depende de você.

As medidas de prevenção da doença COVID-19 são as mesmas para evitar qualquer doença respiratória:
Se estiver sem sintomas, fique tranquilo.
A coleta de exame é indicada apenas para: quem está com sintomas, quem teve contato com uma pessoa que apresenta os sintomas ou quem esteve há menos de 14 dias em um dos países com casos confirmados.
Quando buscar tratamento?
Em caso de sintomas, procure um médico. Ainda não existe vacina ou tratamento específico para a doença.
É indicado repouso e consumo de bastante água.
Além disso, é válido adotar outras medidas para aliviar os sintomas, conforme cada caso e a recomendação médica:

  • Uso de medicamento para dor e febre.
  • Uso de umidificador no quarto.

 

IMPORTANTE:

Se você viajou para alguma região de risco nos últimos 14 dias e ficou com febre, tosse ou dificuldade de respirar, deve procurar atendimento médico e informar o histórico de viagem e seus sintomas.
A internação é indicada somente para pacientes com febre e agravamento dos sintomas.
Já o isolamento domiciliar tem sido recomendado para casos de pessoas que, mesmo sem apresentar os sintomas, vieram de países* em que ocorreu a doença, há menos de 14 dias ou que tiveram contato com casos suspeitos ou confirmados.

Rotina de saúde em hospitais.

Caso você tenha procedimentos agendados em hospitais, como consultas, exames e cirurgias, não há necessidade de suspender nenhum compromisso. O recomendado é seguir os procedimentos normais de acordo com a orientação médica para sua rotina.

Viagens.

Se você tem viagem programada para um dos países que apresentam casos de pessoas infectadas, avalie adiar o compromisso.
Caso não seja possível, siga com ainda mais rigor as orientações gerais de prevenção.
Até o momento, estes são os países monitorados com casos suspeitos ou confirmados:
Faixa etária das vítimas
Idosos com doenças crônicas são os mais afetados.
A incidência é menor em crianças.

O novo coronavírus surgiu na China.
Batizado de 2019-nCoV, este vírus é uma variação da mesma família de outros coronavírus. Os mais conhecidos são o SARS-CoV (China, em 2002) e o MERS-CoV (Oriente Médio, em 2012).

As investigações sobre as formas de transmissão do coronavírus estão em andamento.
Ainda não está claro como o vírus saiu dos animais e contaminou seres humanos. Pesquisas diferentes relacionam a origem ao mercado de Wuhan, na China, a partir da cobra, do morcego ou do pangolim.

Em caso de dúvidas, ligue para o 136 – o Disque Saúde do Ministério da Saúde.

Quer saber mais? Clique aqui.

Rastreador COVID-19

Acesse o site com o números atualizados do COVID-19 clicando aqui.